1 de agosto de 2018

Thomaz Farkas: A história de uma vida contada por meio de imagens

João Farkas, filho do consagrado fotógrafo de origem húngara, faz evento no MIS para discutir a obra do pai em evento promovido pelo Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural (IOK)

Thomaz Farkas é considerado o pioneiro da fotografia moderna no Brasil. Suas imagens feitas nos anos 1940 e 1950 trazem ângulos inusitados, closes, elementos seriados e composições geométricas e querem mostrar que a fotografia não é apenas um espelho da realidade, mas também uma técnica que proporciona outra maneira de ver o mundo. No próximo dia 09 de agosto, no auditório LABMIS às 16h, o público vai ter a oportunidade de mergulhar nesse universo pelo olhar do filho de Thomaz, também fotógrafo, João Farkas. Será o primeiro de uma série de três eventos que vão desde contar a vida e a obra de Thomaz Farkas até o desenvolvimento de atividades  envolvendo a prática artística. Tudo isso por meio de imagens, reflexões e diálogos entre o público e a equipe de arte do Instituto Olga Kos de Inclusão Cultura (IOK). O Instituto, que desenvolve um projeto sobre Thomaz Farkas, atende crianças e jovens com deficiência intelectual ou sem deficiência, mas em situação de risco social, e tem se destacado no cenário cultural de São Paulo promovendo eventos que valorizam a cultura brasileira.

Nós acreditamos que a arte é um meio importante de inclusão e o IOK estará sempre ao lado de iniciativas que valorizem a nossa cultura e garantam o acesso das pessoas a esses bens culturais“, afirma Olga Kos, presidente do IOK.

Natural da Hungria, Thomaz Farkas chegou à São Paulo ainda criança, em 1930, quando o pai abriu uma das primeiras lojas de equipamentos fotográficos do Brasil. Durante sua vida, Thomaz Farkas fez registros do cenário cultural do país por meio da fotografia e do cinema. Sua obra traz a marca dos artistas modernos com enquadramentos, jogos de luz e pontos de vista de cima e de baixo que se afastam da percepção convencional e, por vezes, aproximam a fotografia da pintura abstrata. João Farkas seguiu os passos do pai e também se tornou fotógrafo, tendo atuado no jornalismo fotográfico das revistas Veja e Isto é, no cinema e desenvolvido projetos de expressão pessoal, como os ensaios fotográficos sobre o litoral sul da Bahia e a ocupação da Amazônia. João Farkas será o responsável por apresentar o workshop sobre a vida e a obra do pai, que contempla três fases, com a primeira sendo dedicada ao desenvolvimento de pequenos projetos personalizados, preferencialmente para arte e educação. O evento é aberto ao público, com ocupação limitada a 64 lugares.

Estamos com um projeto de multiplicação de conteúdo, por isso abrimos o workshop para as pessoas participarem e desenvolverem outros projetos dentro da arte, educação e cultura através do conteúdo que João Farkas vai trazer sobre Thomaz Farkas“, comenta Camilla Kury, artista do IOK.