13 de agosto de 2019

MIS expõe fotos produzidas pelos participantes do IOK inspiradas na obra de João Farkas

Resultado de oficinas, as imagens de Cotidiano singular fazem parte do MIS Foto 2019 e ficam em exibição de 31 de agosto a 13 de outubro

Cotidiano e singular parecem duas palavras feitas para caminharem em calçadas opostas. Como é possível algo corriqueiro, frequente e habitual ser único, fora do comum? No mundo das artes tudo é realizável. Prova disso é a exposição Cotidiano singular promovida pelo Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural (IOK) a partir de 31 de agosto no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo. São 24 imagens resultantes de um projeto do IOK inspirado nas obras dos fotógrafos Thomaz e João Farkas.

Foram clicadas por jovens com deficiência intelectual que participaram das oficinas oferecidas pelo Instituto. Nelas, aprenderam sobre enquadramento, iluminação e composição. Aprenderam também a transformar retalhos em fantasias. E fantasias em fotografias. No MIS, todo esse trabalho poderá  ser apreciado pelo público.

Os jovens conheceram a inspiração de perto. João visitou uma das oficinas e observou tudo com atenção. Viu, ouviu e deu palpites. Mas, sobretudo, curtiu o trabalho. Os participantes adoraram criar personagens e cenários. Vestir uma máscara. Fotografar e serem fotografados. Além disso, durante o módulo, os jovens foram convidados para passear pela Avenida Paulista para observar as linhas existentes nas fotografias de Thomaz, exposição do artista no Conjunto Nacional. “A oficina trouxe para eles um novo olhar para a cidade onde vivem e também um novo universo, onde puderam criar outros seres, outras vozes e caras”, afirma Deborah Hathner, do departamento de artes do IOK. “O resultado foi singular.”

 

João Farkas fotografa participante com máscara

 Caretas de Maragojipe são fotos  multicoloridas. Solares. Iluminadas pelo brilho da Bahia. Pelo Carnaval. Caretas festeiras, anônimas, que se misturam à multidão para celebrar a folia de momo. São registros capturados por João Farkas nas visitas que fez a cidade de Maragojipe, no recôncavo baiano, a 130 km de Salvador. Isso ao longo de cinco anos. Retratos que revelam a tradição carnavalesca da cidade: os caretas, que saem à rua fantasiados com máscaras e roupas de pano cosidas pelas mulheres da cidade. Todos fotografados diante de um mesmo fundo, um paredão azul, na ladeira que liga as duas praças da cidade.

Agora, uma série dessas imagens poderá ser vista no livro Caretas de Maragojipe, editado pelo Instituto Olga Kos, e na exposição de mesmo nome que acontece no MIS juntamente com Cotidiano singular.

O IOK também editou um livro em homenagem ao pai de João, Thomaz Farkas, um dos nomes mais relevantes da fotografia moderna brasileira. O livro, Estudos Fotográficos, Thomaz Farkas, traz as imagens da mostra realizada pelo Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) em 1949 na sua sede de então, na rua Sete de Abril, no centro da cidade. Essa mostra, além de revelar alguns dos primeiros trabalhos do jovem fotógrafo, marcou o ingresso da fotografia, enquanto manifestação artística, nos museus de arte do Brasil. Em 2019, as imagens vão ao MIS para celebrar os 70 anos da primeira exibição.

As fotos dos Farkas, pai e filho, e Cotidiano singular fazem parte do FOTO MIS 2019, antigo Maio Fotografia, que vai expor também trabalhos de Pierre Verger e Luciano Candisani.

 

Serviço

FOTO MIS 2019

Abertura: 31 de agosto, às 10h (entrada gratuita).

Lançamento livros Estudos Fotográficos, Thomaz Farkas e Caretas de Maragojipe às 15h.

De 1º de setembro a 13 de outubro de 2019

Horário: terças a sábados, das 10h às 21h; domingos e feriados, das 10h às 20h.

Ingresso R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Entrada gratuita às terças-feiras e para crianças até cinco anos.

Museu da Imagem e do Som – MIS

Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo| (11) 2117-4777 | www.mis-sp.org.br