7 de junho de 2018

Exposição “Revelação e luz das formas do imaginário” é lançada

A mostra fica em cartaz até o dia 17 de junho no MAB-FAAP e a entrada é gratuita

Confira as fotos aquihttps://www.flickr.com/photos/artesiok/albums/72157669871347778

“Revelação e luz das formas do imaginário” é o resultado da parceria do Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural (IOK) com o artista plástico Carlos Araújo, que ministrou oficinas para crianças e jovens com e sem deficiência intelectual, e em situação de vulnerabilidade social. A exposição fica disponível no MAB-FAAP até o dia 17 de junho e tem entrada gratuita. 

A mostra tem curadoria de Silvana Gualda e Camilla Kury e revela como os participantes do projeto deixaram-se conduzir por imagens que se revelavam em manchas de tinta que foram aprimoradas, ou com finas camadas ou retirando aos poucos o pigmento dos suportes; técnica utilizada pelo artista Carlos Araújo. “As oficinas foram totalmente guiadas pelos participantes. A maneira que eu colocava eles entendiam na mesma hora. Eu fazia um gesto com o azul e vinte pessoas ao redor da tela falavam “ó!”, era lindo”, explica Carlos Araujo.   

Na arte não tem nada definido, você lida com sentimento, com o coração e com a razão também. Nesta exposição não há uma diferenciação entre a obra do artista e a obra dos jovens. Os participantes têm uma visão, um entendimento melhor do que a gente sobre a arte e o belo. Eu não vejo nenhuma dificuldade de mexer com as tintas, com a tela e com formas, você tem q mexer com o coração”, comenta Olga Kos, vice-presidente do IOK.

As oficinas ajudam no desenvolvimento das emoções e dos sentidos dos participantes do IOK, como conta Valéria Siqueira, mãe de Pedro Siqueira, “O Pedro no momento está sem fazer oficina, pois ele terminou há pouco tempo e notei que nesse período ele está com problemas emocionais, porque é na tela que ele expõe tudo o que ele sente, tudo o que está acontecendo com ele”. 

A participação nas oficinas do IOK foi uma contrapartida para a edição de um livro sobre a obra do artista. “A arte e a sacralidade na arte”, escrito por Jacob Klintowitz, é o 24º volume da série “Resgatando Cultura” que tem o objetivo de resgatar o panorama artístico‐cultural do país, contribuindo para a democratização do acesso da sociedade aos bens artísticos nacionais. O livro foi lançado no mesmo dia e local da abertura da exposição e tem patrocínio da Biolab e do banco Bradesco, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, além do apoio da FAAP.   

 

Serviço – Exposição:   

“Revelação e luz das formas do imaginário”     

Data: de 07 a 17 de junho    

Horário: segunda à sexta-feira das 10h às 19h, sábado, domingo e feriados, das 10h às 18h. Fechado às terças    

Local: MAB-FAAP Rua Alagoas, 903 – Higienópolis    

Entrada Gratuita      

 

Carlos Araújo    

Carlos Araujo nasceu na cidade de São Paulo no ano de 1950. Faz sua primeira exposição individual no MASP em 1974. No decorrer de sua carreira realiza várias exposições coletivas e individuais. Em 1980, sua obra Anunciação é enviada pelo governo brasileiro ao Papa João Paulo II.  Em 1984, é premiado pela Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA. iniciou, há 15 anos, um projeto ousado: pintar 900 telas retratando passagens de toda a Bíblia. O trabalho agradou Papa Bento XVI a ponto de fazê-lo escrever um prefácio para a primeira edição, que foi lançada no dia 1º de dezembro na Bienal de Arte Contemporânea de Florença, na Itália.